sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Marco Referencial Pretérito
Em três de abril de 1995 a mãe de Clarisse aguardava sua boa hora.
A brisa soprava, Os passarinhos cantavam e as crianças brincavam lá fora.
Norma já trazia no bolso do colete a carta que na mesa jogou. Era já a boa de Clarisse que norma trazia em seu Ethos aristotélico.
E se eu tivesse medo as coisas não estariam assim....
Amor de mais é sobra.
Amor de mais é cobra.
É traiçoeiro e te dá o bote escondido na bondade da entidade Amor.
é que a tristeza me cai bem
alguns dizem por aí
que faz parte do meu show
essa história de drama

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

ancora persa

Completamente perdida.
Perdi meus óculos.
Perdi meu moletom do urso comunista.
Perdi meu cartão de banco.
Perdi meu milésimo Pífano.

Perdi a esperança no amor.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

hollywoody

Acertamos na aposta juntos
Rodeados de sorte
A gente a girar no salão
A gente a rolar no chão
Inundados de champagne e prazer

A despertar sono de princesa
Nos encontramos otários e
Casamos em Las Vegas.
Foi só isso mesmo
Ontem
E o divórcio já corre.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

O caso caiu na casa do acaso.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

milho d'água
cacto sem espinho
Peguei o bonde andando,
Sentei na janelinha.
Acenei pra mocinha lá fora,
Que sorriu e me mandou um beijo
cujo no o quê cheiro havia era jasmim-manga.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

otim - o livre

ele sempre é muito livre
por ter os pés de cavalo que abraça o mundo.
ele tem medo dos guardiões da redoma,
mas trans_borda amor e é esta sua arma,
a generosidade que o faz distribuir:
dá sem ver a quem.